Esse blog é uma verdadeira caixa de retalhos, escrevo tudo o que quero, lê quem quiser e comenta quem acha alguma coisa.

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Divórcios e Violência Contra a Mulher

Para reforçar a minha idéia do post anterior, ontem vieram no escritório duas mulheres diferentes, nunca tinham se falado na vida. Precisavam de um advogado pelo mesmo motivo: Violência Doméstica. Queriam se divorciar.

Uma delas teve mais tempo comigo na sala de espera e contou sua história. Casou muito cedo, o marido tem uma grande diferença de idade, quase 14 anos de diferença. Engravidou com 15/16 anos e desde sempre o marido foi violento com ela, já chegou a agredi-la fisicamente. Na época em que casou morava no interior e não tinha conhecimento da vida. Quando veio para a cidade, começou a conversar e a entender que o marido das outras não agia da mesma forma que o dela, algo estava errado.

Mas foi aguentando, pois casou na igreja e achava feio mulher separada. Só que de uns tempos pra cá o marido começou a beber e as agressões verbais estão mais constantes. Já tentou de tudo. A filha está para fazer Primeira Comunhão e queria ficar casada até lá para não aparecer separada na igreja, mas já não dá mais.

Foi ameaçada de morte pelo marido e tem muito medo de que bêbado ele cumpra o que prometeu.

Essa história é real e é uma de muitas que escutamos todos os dias. Mas vi no olhar dessa mulher a vontade de sair desse inferno. É uma mulher jovem, mas muito sofrida, se pintasse o cabelo, usasse umas roupas mais bonitas seria uma mulher muito bonita.

É uma guerreira, já enfrentou um câncer de mama e sobreviveu. Está querendo nascer de novo depois do divórcio. E tem todo o apoio da família.

Foi instruída a dar parte na polícia pelas ameaças de agressão do marido para que ele seja afastado de casa e que ela não tenha que sair do lar, pois se sair de casa, perderia todos os direitos.

Enfim, vou acompanhar esse caso de perto e espero que ela tenha sucesso em se libertar das garras desse marido agressor, pois lugar de agressor é na cadeia!


sábado, 27 de outubro de 2007

Violência contra mulheres

Essa é sobre Rede Globo e outras novelas.

Um dia desses estava na recepção do Hospital de Nova Petrópolis, esperando o Silvério que tinha ido fazer uma consulta no médico (uma Micose, nada grave). Estava passando a novela das 8 que começa as 9.

Não sei o contexto pois não assisto essa novela e quase nenhuma outra, minha vida está muito corrida ultimamente. Bem, a cena era de uma mulher falando para o homem que ela estava grávida e ele disse que era impossível aquilo ser verdade pois ele era vasectomizado.

Até aí tudo bem, mas eles começaram a discutir e ele agrediu ela fisicamente, pegou nos cabelos e jogou ela no chão.

Então comentei com algumas pessoas que também estavam assistindo, que isso era uma banalização da violência da mulher, porque se o Dalton Vigh que é ator da Globo pode bater na namorada dele que é a Juliana Knust (na ficção, tá?) porque eu não posso dar uns catiripapos na minha mulher que nem é famosa?

Vejam que a mente do povo é muito fértil, eu sei, mas é assim que funciona. Assim como os atores em cena tomam um "uísquezinho" para relaxar depois do trabalho e aparecem fumando em várias cenas. Exemplo de comportamento???

Será que a cena não teria se resolvido apenas com uma discussão acalorada que fosse, mas apenas com agressão verbal.

Achei desnecessária a agressão física, assim como outras pessoas que estavam assistindo.

Além disso, temos crianças assistindo aquela novela, apesar de todas as indicações de idade que possam colocar na tela, as crianças não dormem antes da novela. E elas sim, não entendem o limiar entre certo e errado. Se passa na TV é porque pode, daí vão para a escola e agridem os colegas e daí é um Deus nos acuda!

Meu protesto está aqui e o melhor que eu faço é não assistira mais!


domingo, 21 de outubro de 2007

Aniversário

Ontem foi meu aniversário e como em todos os anos em que fazemos aniversário algumas coisas se repetem, nem vou falar sobre elas, mas algumas coisas são inéditas e é sobre elas que devemos falar.

Foi o primeiro aniversário da minha vida em que eu...
- Cantei uma missa com o coral justo no dia do meu aniversário.
- Ganhei a benção de um padre.
- Recebi abraços de pessoas que nunca me abraçaram na vida.
- Recebi ligação de uma ex-colega e amiga da faculdade (ela já está formada!) com a qual comentei apenas uma vez a data do meu aniversário e não, ela não tem Orkut para lembrá-la.
- Comemorei o meu aniversário só com o Silvério, no almoço e na janta, nada de visitas.
- Recebi flores de uma cunhada por entrega da floricultura.
- Ouvi parabéns a você tocado na gaita pelo Silvério (ele é muito romântico!).
- Ganhei presentes com uma semana de antecedência e já pude usar no dia do aniversário (dois sapatos da Dakota).
- A festa propriamente dita vai ser hoje, tem torta na minha sogra depois do almoço e de tarde vamos na Festa da Imperial em Picada Café.
- Ganhei de presente do Frajola essa linda foto.


Mas enfim, foi um dia feliz, pena que dura pouco! Apenas 24 horas...


segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Imagens Fortes!

Hoje vi muitas cenas fortes, mas de tipos diferentes.

Em uma delas, vi fotos de um homem assassinado, fotos de polícia, elas não poupam nada, em uma delas aparecia o "close" do rosto do homem. Foi bem chocante!

Outra cena que vi, para mim foi muito mais chocante, um vídeo enviado por e-mails que mostra o que eles fazem com cães e gatos na China. Não assista ao vídeo se não tiver estômago, é realmente humilhante ser da raça humana e saber que fazemos isso com seres tão inofensivos.

São tratados como mercadoria, como eles jogam as gaiolas no chão. Não tenho vergonha de dizer que chorei vendo a esse filme! Vendo aqueles olhares de humilhação e tristeza, se pudessem pensar, pensariam: - O que eu fiz para merecer isso? - Porque esses seres humanos me odeiam tanto? - O que será que eles vão fazer comigo? - Eu achei que ele fosse me fazer um carinho quando chegou perto de mim! - eu estava só com fome, me perdoa?

Não sei porque, mas já vi outras cenas iguais às que vi hoje, e sempre me choca mais quando o assunto é animais. Não sei realmente o porque disto. Imagino que seja pela absoluta falta de defesa do animal frente ao ser humano que além de ser mais forte (na maioria das vezes), ainda age com total crueldade e na grande maioria das vezes, movido por questões de ganância financeira, como é o caso do vídeo Chinês.

Mas não pensem que isso acontece somente na China, isso acontece por toda a parte e a cada dia que passa fico mais aterrorizada com a extensão da crueldade humana!





sábado, 13 de outubro de 2007

Sobre futuro, passado e presente

Ontem foi aniversário da minha mãe. É tocante de ver o quanto ela fica feliz em apenas poder almoçar com nós e às vezes isso é tão difícil.

Cada um tem sua vida, seu trabalho e seus afazeres e moramos tão longe um do outro... Nesses raros momentos em que estamos juntos é como se o tempo voltasse e fossemos apenas crianças...

Ela ganhou duas fotos, em uma delas tem uma montagem com um monte de fotos de quando éramos pequenos e ela era feliz, em outra foto, mais um desses raros momentos em que estamos os três juntos, mas ainda falta uma pessoa... Ela chorou de alegria e isso foi muito tocante...

Sei que ela sente falta da união familiar, mas sei que isso é uma utopia de saudosismo, pois quando as coisas passam, a gente tem mania de só lembrar da parte que era boa, dos tempos felizes, esquecemos os problemas e as brigas, idealizamos o passado.

Gostaria de ter o poder mágico de restaurar cada um daqueles momentos felizes que estavam estampados naquelas fotos... De recriar cada uma daquelas cenas e de voltar a ser criança...

Mas como isso não é possível, voltamos cada um para nossas casas e continuamos vivendo o presente, que não deixa de ser feliz e que um dia ainda vai suscitar esses rememoramentos felizes de um dia como ontem.

Um dia ainda vou ganhar de alguém fotos de um passado bom, por isso é legal viver o presente de uma forma intensa, pois o futuro é logo e o passado deixa saudades...


sábado, 6 de outubro de 2007

O Caçador de Pipas


Um dos livros mais lindos que eu já li nos últimos tempos.
Eu só leio coisa boa. Se o livro não me prende nas primeiras páginas eu fecho o livro e devolvo à biblioteca. Não vale a pena perder o tempo com algo que não lhe dá prazer. Prefiro desistir do que ler algo que não me interessa!

Esse livro é uma narrativa bem fora da nossa realidade brasileira. Fala do Afeganistão e dos problemas com os governos que envolvem religião e guerras.

Mas fala de uma história de pai e filho que pode muito bem fazer parte da nossa realidade. Fala sobre lealdade, sobre amor fraterno, sobre intolerância religiosa e racial, fala de seres humanos em suas fraquezas e dificuldades, mas fala de tudo isso com uma beleza incomparável.

É um livro que faz rir e faz chorar.

Só não chorei pois estava lendo ele no trabalho e vai que aparece alguém na porta?

É claro que podes dizer que não vai ler porque não tem tempo, mas é uma pena mesmo, estamos perdendo tanta coisa bonita por causa da correria do dia-a-dia, mas o livro espera por um dia de folga, no entanto a vida não espera, ela é hoje, aqui e agora!

Vale a pena ler!