Esse blog é uma verdadeira caixa de retalhos, escrevo tudo o que quero, lê quem quiser e comenta quem acha alguma coisa.

sábado, 29 de novembro de 2008

Offer - Alanis Morissette

Já conhecia a música mas não conhecia a tradução. A letra é muito profunda e a montagem feita no vídeo deixa isso mais claro ainda!

video

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Coisas que só as mulheres sabem o significado

Aliança = garantia financeira.
Amor impossível = um pretendente pobre.
Batom = poderosa arma feminina que deixa marcas fatais.
Bolsa = membro essencial no funcionamento do corpo feminino.
Cansaço = Vontade de ficar sozinha.
Carteira = principal órgão masculino.
Certeza = quase certeza.
Confiança = ação incompatível com os homens.
Dor de cabeça = falta de vontade.
Extravasar = galinhar.
Falta de atenção = falta de presentes.
Fracasso = perder um homem para uma mulher mais magra.
Gravidez = investimento a longo prazo.
Minutos = horas. (principalmente antes de sair)
Maquiagem = realce da beleza natural e disfarce da feiúra original.
Meia calça = camada de acabamento das pernas.
Namorado = desculpa usada para despistar homens indesejados.
Nunca = por enquanto não...
Pílula = medicamento usado no momento certo e suspenso no momento oportuno.
Satisfação = verbete desconhecido no dicionário feminino.
Talvez = sim.
Terapia de grupo = shopping com as amigas.
Valorização = flores no dia seguinte.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Tese de Mestrado na USP por um Psicólogo


'O HOMEM TORNA-SE TUDO OU NADA, CONFORME A EDUCAÇÃO QUE RECEBE'
'Fingi ser gari por 8 anos e vivi como um ser invisível'
Psicólogo varreu as ruas da USP para concluir sua tese de mestrado da 'invisibilidade pública'. Ele comprovou que, em geral, as pessoas enxergam apenas a função social do outro. Quem não está bem posicionado sob esse critério, vira mera sombra social.

Plínio Delphino, Diário de São Paulo.

O psicólogo social Fernando Braga da Costa vestiu uniforme e trabalhou oito anos como gari, varrendo ruas da Universidade de São Paulo. Ali, constatou que, ao olhar da maioria, os trabalhadores braçais são 'seres invisíveis, sem nome'.
Em sua tese de mestrado, pela USP, conseguiu comprovar a existência da 'invisibilidade pública', ou seja, uma percepção humana totalmente prejudicada e condicionada à divisão social do trabalho, onde enxerga-se somente a função e não a pessoa.
Braga trabalhava apenas meio período como gari, não recebia o salário de R$ 400 como os colegas de vassoura, mas garante que teve a maior lição de sua vida: 'Descobri que um simples bom dia, que nunca recebi como gari, pode significar um sopro de vida, um sinal da própria existência', explica o pesquisador.
O psicólogo sentiu na pele o que é ser tratado como um objeto e não como um ser humano. 'Professores que me abraçavam nos corredores da USP, passavam por mim, não me reconheciam por causa do uniforme. Às vezes, esbarravam no meu ombro e, sem ao menos pedir desculpas, seguiam me ignorando, como se tivessem encostado em um poste, ou em um orelhão', diz.
No primeiro dia de trabalho paramos pro café. Eles colocaram uma garrafa térmica sobre uma plataforma de concreto. Só que não tinha caneca. Havia um clima estranho no ar, eu era um sujeito vindo de outra classe, varrendo rua com eles. Os garis mal conversavam comigo, alguns se aproximavam para ensinar o serviço...
Um deles foi até o latão de lixo pegou duas latinhas de refrigerante cortou as latinhas pela metade e serviu o café ali, na latinha suja e grudenta. E como a gente estava num grupo grande, esperei que eles se servissem primeiro. Eu nunca apreciei o sabor do café. Mas, intuitivamente, senti que deveria tomá-lo, e claro, não livre de sensações ruins. Afinal, o cara tirou as latinhas de refrigerante de dentro de uma lixeira, que tem sujeira, tem formiga, tem barata, tem de tudo.
No momento em que empunhei a caneca improvisada, parece que todo mundo parou para assistir à cena, como se perguntasse: 'E aí, o jovem rico vai se sujeitar a beber nessa caneca?' E eu bebi. Imediatamente a ansiedade parece que evaporou. Eles passaram a conversar comigo, a contar piada, brincar.

O que você sentiu na pele, trabalhando como gari?


Uma vez, um dos garis me convidou pra almoçar no bandejão central. Aí eu entrei no Instituto de Psicologia para pegar dinheiro, passei pelo andar térreo, subi escada, passei pelo segundo andar, passei na biblioteca, desci a escada, passei em frente ao centro acadêmico, passei em frente a lanchonete, tinha muita gente conhecida. Eu fiz todo esse trajeto e ninguém em absoluto me viu. Eu tive uma sensação muito ruim. O meu corpo tremia como se eu não o dominasse, uma angústia, e a tampa da cabeça era como se ardesse, como se eu tivesse sido sugado. Fui almoçar, não senti o gosto da comida e voltei para o trabalho atordoado.

E depois de oito anos trabalhando como gari? Isso mudou?


Fui me habituando a isso, assim como eles vão se habituando também a situações pouco saudáveis. Então, quando eu via um professor se aproximando - professor meu - até parava de varrer, porque ele ia passar por mim, podia trocar uma idéia, mas o pessoal passava como se tivesse passando por um poste, uma árvore, um orelhão.

E quando você volta para casa, para seu mundo real?


Eu choro. É muito triste, porque, a partir do instante em que você está inserido nessa condição psicossocial, não se esquece jamais. Acredito que essa experiência me deixou curado da minha doença burguesa. Esses homens hoje são meus amigos. Conheço a família deles, freqüento a casa deles nas periferias. Mudei. Nunca deixo de cumprimentar um trabalhador. Faço questão de o trabalhador saber que eu sei que ele existe. Eles são tratados pior do que um animal doméstico, que sempre é chamado pelo nome. São tratados como se fossem uma COISA'.

*Ser IGNORADO é uma das piores sensações que existem na vida!

Esse texto foi recebido por e-mail, não é de minha autoria!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Anna Freud foi levada embora


Na segunda-feira cheguei no estágio e logo a Fabi me avisou que levaram a Anna Freud embora. Uma pessoa que trabalha numa ONG que cuida de animais levou para castrar e para doação. Não sei se fico triste ou feliz, pois lá no estágio ela era cuidada e bem alimentada, só que não tinha um lar. Mas será que nesse local vão dar um lar para ela? Lá no estágio sempre tinha alguém paparicando e fazendo carinho, será que ela está tendo o mesmo tratamento nesse local?
Fico triste pois nem uma foto dela eu consegui tirar!
Para quem não está entendendo nada leia aqui e aqui.
Mas acho que fiquei triste, eu gostava de fazer carinho nela, pois de certa forma eu matava um pouco a saudade do meu fófis (o gato da foto do título do blog).

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Homens, não cancelem o jantar!

Quando um homem chama uma mulher para sair, não sabe o grau de estresse que isso desencadeia em nossas vidas.
Você, mulher, está flertando um Zé Ruela qualquer. Com sorte, ele acaba te chamando para sair. Vamos supor, um jantar. Pronto, acabou seu último minuto de paz. Ele diz, como se fosse a coisa mais simples do mundo 'Vamos jantar amanhã?'. Você sorri e responde, como se fosse a coisa mais simples do mundo: 'Claro, vamos sim'.
Começou o inferno na Terra.
Foi dada a largada.
Você começa a se reprogramar mentalmente e pensar em tudo que tem que fazer para estar apresentável até lá. Cancela todos os seus compromissos canceláveis e começa a odisséia.
Evidentemente, você também para de comer, afinal, quer estar em forma no dia do jantar e mulher sempre se acha gorda.
Daqui pra frente, você começa a fazer a dieta do queijo: fica sem comer nada o dia inteiro e quando sente que vai desmaiar come uma fatia de queijo. Muito saudável.
Primeira coisa: fazer mãos e pés. Quem se importa se é inverno e você provavelmente vai usar uma bota de cano alto? Mãos e pés tem que estar feitos - e lá se vai uma hora do seu dia. Vocês (homens) devem estar se perguntando 'Mão tudo bem, mas porque pé, se ela vai de botas?' Lei de Murphy. Sempre dá merda. Uma vez pensei assim e o infeliz me levou para um restaurante japonês daqueles em que tem que tirar o sapato para sentar naqueles tatames. Tomei no cu bonito! Tive que tirar o sapato com aquela sola do pé cracuda, esmalte semi-descascado e cutícula do tamanho de um champignon! Para nossa paz de espírito, melhor fazer mão é pé, até porque boa parte dessa raça tem uma tara bizarra por pé feminino. OBS: Isso me emputece. Passo horas na academia malhando minha bunda e o desgraçado vai reparar justamente onde? Na porra do pé! Isso é coisa de... Melhor mudar de assunto...
As mais caprichosas, além de fazer mão e pé, ainda fazem algum tratamento capilar no salão: hidratação, escova, corte, tintura, retoque de raiz, etc. Eu não faço, mas conheço quem faça. E nessa se vai mais uma hora do seu dia.
Dependendo do grau de importância que se dá ao Zé Ruela em questão, pode ser que a mulher queira comprar uma roupa especial para sair com ele. Mais horas do seu dia. Ou ainda uma lingerie especial, dependendo da ocasião. Pronto, mais horas do dia. Se você trabalha, provavelmente vai ter que fazer as unhas na hora do almoço e correr para comprar roupa no final do dia em um shopping.
Ah sim, já ia esquecendo. Tem a depilação. Essa os homens não podem nem contestar. Quem quer sair com uma mulher não depilada, mesmo que seja apenas para um inocente jantar? Lá vai você depilar perna, axila, virilha, sobrancelha etc, etc. Tem mulher que depila até o cu! Mulher sofre! E lá se vai mais uma hora do seu dia. E uma hora bem dolorida, diga-se de passagem.
Parabéns, você conseguiu montar o alicerce básico para sair com alguém. Pode ir para a cama e tentar dormir, se conseguir. Ah sim, você vai dormir, COM FOME. A dieta do queijo continua.
Dia seguinte. É hoje seu grande dia.
Geralmente, o Zé Ruela não comunica onde vai levar a gente. Surge aquele dilema da roupa. Com certeza você vai errar, resta escolher se quer errar para mais ou para menos. Se te serve de consolo, ele não vai perceber. Alias, ele não vai perceber nada. Você pode aparecer de Armani ou enrolada em um saco de batatas, tanto faz. Eles não reparam em detalhe nenhum, mas sabem dizer quando estamos bonitas (só não sabem o porquê). Mas, é como dizia Angie Dickinson: 'Eu me visto para as mulheres e me dispo para os homens'. Não tem como, a gente se arruma, mesmo que eles não reparem.
E não adianta pedir indicação de roupa para eles, os malditos não dão sequer uma pista! Claro, para eles é muito simples, as Madames só precisam tomar uma chuveirada, vestir uma Camisa Pólo e uma calça e estão prontos, seja para o show de rock, seja para um fondue. Nesse pequeno cérebro do tamanho de um caroço de uva só existem três graduações de roupa: Bermuda + Chinelo, Jeans + Pólo, Calça Social + Camisa Social. Quando você pergunta se tem que ir arrumada é quase certo que Madame abra a boca e diga 'sei lá, normal, roupa normal'. Eles não sabem que isso não ajuda em nada.
Escolhida a roupa, com a resignação que você vai errar, para mais ou para menos, vem a etapa do banho. Óleos, sabonetes aromáticos, esfoliação (horrível que seja com 's', né? deveria ser com 'x'), etc.
E o cabelo? Tem que fazer uma lavagem especial, com cremes e etc. E depois ainda vem a chapinha, prancha e/ou secador.
Depois do banho e do cabelo, vem a maquiagem. Nessa etapa eu perco muito tempo. Lá vai a babaca separar cílio por cílio com palito de dente depois de passar rímel. Melhor nem contar tudo que eu faço em matéria de maquiagem, se não vocês vão me achar maluca, digo, mais maluca. Como dizia Napoleão Bonaparte, 'Mulheres tem duas grandes armas: lágrimas e maquiagem'. Considerando que não faço uso das primeiras, me permito abusar da segunda. Se você for uma pessoa normal, não perde nem vinte minutos passando maquiagem.
Depois vem a hora de se vestir. Homens não entendem, mas tem dias que a gente acorda gorda. É sério, no dia anterior o corpo estava lindo e no dia seguinte... PORCA! Não sei o que é (provavelmente nossa imaginação), mas eu juro que acontece. Muitas vezes você compra uma roupa para um evento, na loja fica linda e na hora de sair fica um cu. Se for um desses dias em que seu corpo está um cu e o espelho está de sacanagem com a sua cara, é provável que você acabe com um pilha de roupas recusadas em cima da cama, chorando, com um armário cheio de roupa gritando 'EU NÃO TENHO ROOOOOUUUUUPAAAA'. O chato é ter que refazer a maquiagem. E quando você inventa de colocar aquela calça apertada e tem que deitar na cama e pedir para outro ser humano enfiar ela em você? Uma gracinha, já vai para o jantar lacrada a vácuo. Se espirrar a calça perfura o pâncreas.
Ok, você achou uma roupa que ficou boa. Vem o dilema da lingerie. Salvo raras exceções, roupa feminina (incluindo lingerie) ou é bonita, ou é confortável. Você olha para aquela sua calcinha de algodão do tamanho de uma lona de circo. Ela é confortável. E cor de pele. Praticamente um método anticoncepcional. Você pensa 'Eu não vou dar para ele hoje mesmo, que se foda'. Você veste a calcinha. Aí você começa a pensar 'E se mesmo sem dar para ele, ele pode acabar vendo a minha calcinha... Vai que no restaurante tem uma escada e eu tenho que subir na frente dele... se ele olhar para essa calcinha, broxará para todo o sempre comigo...'. Muito puta da vida, você tira a sua calcinha amiga e coloca uma daquelas porras mínimas e rendadas, que com certeza vão ficar entrando na sua bunda a noite toda. Melhor prevenir. Nessas horas a gente emburrece e acha que qualquer deslize que fizer vai espantar o sujeito de forma irreversível.
Os sapatos. Vale o mesmo que eu disse sobre roupas: ou é bonito, ou é confortável. FATO: Lei de Murphy impera. Com certeza me vai ser exigido esforço da parte comprometida pelo desconforto. Ex: Vou com roupa confortável e sapato assassino. Certeza que no meio da noite o animal vai soltar um 'Sei que você adora dançar, vamos sair para dançar! Eu tento fazer parecer que as lágrimas são de emoção. Uma vez um sapato me machucou tanto, mas tanto, que fiz um bilhete para mim mesma e colei no sapato, para lembrar de nunca mais usar! Porque eu não dei o sapato? Porra... me custou muito caro. Posso não usá-lo, mas quero tê-lo. Eu sei, eu sei, materialista do caralho. Vou voltar como besouro de esterco na próxima encarnação e comer muito cocô para ver se evoluo espiritualmente! Mas por hora, o sapato fica.
Só quero que os homens saibam que é um momento tenso para nós e que ralamos bastante para que tudo dê certo. O ar de tranquilidade que passamos é pura cena. Sejam delicados e compareçam aos encontros que marcarem, ok? E se possível, marquem com antecedência, para a gente ter tempo de fazer nosso ritual preparatório com calma...
Apesar do texto enorme, quero deixar claro que o que eu coloquei aqui é o mínimo do mínimo. Existem milhões de outras providências que mulheres tomam antes de encontros importantes: clarear pêlos (vulgo 'banho de lua'), fazer drenagem linfática, baby liss... enfim, uma infinidade de nomes que homem não tem a menor idéia do que se trata.
Depois que você está toda montadinha, lutando mentalmente com seus dilemas do tipo 'será que dou para ele? É o terceiro encontro, talvez eu deva dar...' começa a bater a ansiedade. Cada uma lida de um jeito. Eu, como boa loser que sou, lido do pior jeito possível. Tenho um faniquito e começo a dizer que não quero ir. Não para ele, ligo para a infeliz da minha melhor amiga e digo que não quero mais ir, que sair para conhecer pessoas é muito estressante, que se um dia eu tiver um AVC é culpa dessa tensão toda que eu passei na vida toda em todos os primeiros encontros e que quero voltar tartaruga na próxima encarnação. Ela, coitada, escuta pacientemente e tenta me acalmar.
Agora imaginem vocês, se depois de tudo isso, o filho da puta liga e cancela o encontro? 'Surgiu um imprevisto, podemos deixar para semana que vem?'. Claro, na cabecinha deles não custa nada mesmo, eles acham que é simples, que a gente levantou da cama e foi direto pro carro deles. Se eles soubessem o trabalho que dá, o estresse, o tempo perdido... nunca ousariam remarcar nada. Se fode aí! Vem me buscar de maca e no soro, mas não desmarque comigo! Até porque, a essas alturas, a dieta radical do queijo está quase te fazendo desmaiar de fome, é questão de vida ou morte a porra do jantar! NÃO CANCELEM ENCONTROS A MENOS QUE TENHA ACONTECIDO ALGO MUITO, MUITO, MUITO GRAVE! A GENTE SE MOBILIZA DEMAIS POR CAUSA DELES!
Supondo que ele venha. Ele liga e diz que está chegando. Você passa perfume, escova os dentes e vai. Quando entra no carro já toma um eufemismo na lata 'MMM... ta cheirosa!' (tecla sap: 'Passou muito perfume, porra'). Ele nem sequer olha para a sua roupa. Ele não repara em nada, ele acha que você é assim ao natural. Eu não ligo, acho homem que repara muito meio viado, mas isso frustra algumas mulheres. E se ele for tirar a sua roupa, grandes chances dele tirar a calça junto com a calcinha e nem ver. Pois é, Minha Amiga, você passou a noite toda com a rendinha atochada no rego (que por sinal custou muito caro) para nada. Homens, vocês sabiam que uma boa calcinha, de marca, pode custar o mesmo que um MP4? Favor tirar sem rasgar.
Quando é comigo, passo tanto estresse que chego no jantar com um pouco de raiva do cidadão. No meio da noite, já não sinto mais meus dedos do pé, devido ao princípio de gangrena em função do sapato de bico fino. Quando ele conta piadas e ri eu penso 'É, eu também estaria de bom humor, contando piada, se não fosse essa calcinha intra-uterina raspando no colo do meu útero'. Sinto o estômago fagocitando meu fígado, mas apenas belisco a comida de leve. Fico constrangida de mostrar toda a minha potência estomacal assim, de primeira.Para finalizar, quero ressaltar que eu falei aqui do desgaste emocional e da disponibilidade de tempo que um encontro nos provoca. Nem sequer entrei no mérito do DINHEIRO. Pois é, tudo isso custa caro.
Vou fazer uma estimativa POR BAIXO, muito por baixo, porque geralmente pagamos bem mais do que isso e fazemos mais tratamentos estéticos:
Roupa.............................................................R$200,00
Ligerie..............................................................R$70,00
Maquiagem.......................................................R$50,00
Sapato............................................................R$100,00
Depilação..........................................................R$50,00
Mão e pé...........................................................R$25,00
Perfume...........................................................R$200,00
Pílula anticoncepcional.......................................R$45,00

Ou seja, JOGANDO O VALOR BEM PARA BAIXO, gastamos, no barato, R$740,00 para sair com um Zé Ruela. Entendem porque eu bato o pé e digo que homem TEM QUE PAGAR O MOTEL? A gente gasta muito mais para sair com eles do que ele com a gente!

Recebi por e-mail. Desconheço a autoria.

Vende-se Tudo - Martha Medeiros


No mural do colégio da minha filha encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos. O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento. Uma outra mãe, ao meu lado, comentou: - Que coisa triste ter que vender tudo que se tem. - Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida.
Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes. O resto vendi tudo, e por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar, aparelho de som, tudo o que compõe uma casa. Como eu não conhecia muita gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o primeiro que se foi. Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém que tinha ouvido comentar que ali estava se vendendo uma estante. Eu convidava pra subir e em dez minutos negociávamos um belo desconto.
Além disso, eu sempre dava um abridor de vinho ou um saleiro de brinde, e lá se iam meus móveis e minhas bugigangas. Um troço maluco: estranhos entravam na minha casa e desfalcavam o meu lar, que a cada dia ficava mais nu, mais sem alma.
No penúltimo dia, ficamos só com o colchão no chão, a geladeira e a tevê. No último, só com o colchão, que o zelador comprou e, compreensivo, topou esperar a gente ir embora antes de buscar. Ganhou de brinde os travesseiros.
Guardo esses últimos dias no Chile como o momento da minha vida em que aprendi a irrelevância de quase tudo o que é material. Nunca mais me apeguei a nada que não tivesse valor afetivo.
Deixei de lado o zelo excessivo por coisas que foram feitas apenas para se usar, e não para se amar.
Hoje me desfaço com facilidade de objetos, enquanto que torna-se cada vez mais difícil me afastar de pessoas que são ou foram importantes, não importa o tempo que estiveram presentes na minha vida...
Desejo para essa mulher que está vendendo suas coisas para voltar aos Estados Unidos a mesma emoção que tive na minha última noite no Chile.
Dormimos no mesmo colchão, eu, meu marido e minha filha, que na época tinha 2 anos de idade. As roupas já estavam guardadas nas malas. Fazia muito frio.
Ao acordarmos, uma vizinha simpática nos ofereceu o café da manhã, já que não tínhamos nem uma xícara em casa.
Fomos embora carregando apenas o que havíamos vivido, levando as emoções todas: nenhuma recordação foi vendida ou entregue como brinde. Não pagamos
excesso de bagagem e chegamos aqui com outro tipo de leveza.
... E se só possuímos na vida o que dela pudermos levar ao partir, é melhor refletir, e começar a trabalhar o DESAPEGO JÁ!

Este texto é de autoria de Martha Medeiros.

domingo, 23 de novembro de 2008

As Frases do Orkut


Estava eu no micro, liguei ele no domingo só para renovar um livro, aliás três livros. Mas então, estava eu aqui sem nenhuma inspiração, P da vida porque meu time do coração GRÊMIO perdeu feio para o Vitória.
Então para matar o tempo entrei no Orkut coisa que faço todo dia e li a seguinte frase na Sorte de hoje: A paciência é a arte da esperança.
Logo, veio-me a derrota de hoje para o Vitória e pensei, será que seria isso uma profecia de Nostradamus?
Torço para que seja!
Estivemos várias rodadas na frente e agora do nada caímos de posição e ainda por cima tomamos uma goleada, não é justo, assim como não foi justa a expulsão do Amaral, mas daí vão dizer que estamos sempre reclamando de termos sido prejudicados pela arbitragem.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Frases do Barth Simpson


Olha só que legal o site. Clica na imagem para entrar lá!
Você pode escrever a frase que quiser e ele gera a célebre imagem do Bart escrevendo no quadro. Dá para copiar as frases para o seu computador e o melhor DE GRÁTIS!

Fabi e os Gatos


Não consegui tirar uma foto da Gata, que "mora" no PAAS (local do meu estágio). Mas ela já ganhou um nome "Anna Freud", obviamente o pessoal da Cognitiva queria um nome da linha deles, venceu Anna Freud!
Não consegui tirar foto dela pois fico tão abobada quando a vejo que nem atino pegar o celular para tirar a foto.
Estamos pensando em fazer uma "vaquinha" para castrar a gata, pois logo logo aparecerão filhotes com ela inteira! Estou pesquisando Veterinários na cidade para vermos uma clínica que faça por um precinho de ocasião!
Qualquer hora eu tento me concentrar para tirar uma foto dela!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

As Fabis e os Gatos


Tenho uma colega de estágio que também se chama Fabi e também ama gatos.
Pura coincidência!
Pois é, hoje ela tava me fazendo sinal para ir olhar uma coisa e eu não entendi até que me chamou mesmo e eu fui ver, meio que: O que ela quer comigo?
Ela me chamou para ver uma gatinha que apareceu no estágio.
Amanhã vou ver se tiro uma foto dela, muito fofa, para colocar aqui no blog.
Está por aqui desde quinta-feira, mas eu só venho até quarta, por isso não a conhecia. A minha xará comprou ração para ela. A coitadinha comeu desesperada, tava louca de fome, chega a se atirar no chão de tão fofa que ela é. A Fabi ficou morrendo de vontade de levar ela para casa. Ela perdeu a gatinha dela há pouco tempo... Deu um potinho de água e amanhã eu me prontifiquei de ver se ela vai ganhar ração que a Fabi pediu para a secretária dar.
Ai, ela é um doce de côco!
Tá com as tetinhas meio inchadas, parece que ganhou filhotes há pouco, mas ela está sozinha. É tigrada, linda!

Meus bons amigos onde estão?

A mãe perguntou hoje de ti e fiquei na maior vergonha de dizer que fazia tempo que a gente não se "falava" nem que fosse pela net. Por que a gente sempre dá uma desculpa ou outra que está sem tempo? Podemos falar no MSN de noite e falar no microfone ainda por cima, como telefone e sem gastar NADINHA a mais por isso!
Mas sabe qual é o problema?
Eu NUNCA estou em casa de noite, SEMPRE tem alguma coisa, ano que vem vou reduzir todos os compromissos que me tiram o precioso tempo que quero ter para os amigos e marido.
Olha só as noites:
Seg: Estágio
Ter: Aula
Qua: Ensaio
Qui: Ensaio
Sex: Livre (?) Quase nunca
Sáb: Livre (?) Quase nunca
Dom: Livre, mas nem ligo o micro no domingo!

Só para resumir, tô com saudades de falar contigo e escutar a tua sonora risada!
Beijos!
PS.: E-mail enviado para uma amiga especial, mas posso incluir a todos os amigos com os quais tenho tido pouquíssimo tempo, pois a vida é muito cruel mesmo com a gente!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Final de semana


Esse final de semana foi o cão! Meeeeeeeeu como eu tava irritada, eu diria possessa! Não sei o que se apodera de mim na TPM, mas é o cão! Meu chapéu! Coitado do marido que é para quem sobra, mas ele também tem as partes boas...
Enfim, porque eu estava possessa, possuída, enlouquecida?
Nada deu certo no domingo para mim (Exceto a vitória do Grêmio! \o/)
Fomos numa festa lotada, tivemos que cheirar vários odores desagradáveis (asa, cecê, como queiram) e os odores que eram para ser bons eram de perfumes baratos do Avon (sabe aqueles perfumes de véia?), o marido fala Amor Gaúcho, sei lá o que é isso, mas deve ser ruim igual, eheh!
Então o almoço em si, a comida tava boa.
De tarde tinha jogo às 17 horas e eu queria assistir no conforto do lar, mas foi, foi e chegamos em casa só as 17:30, grrrrrrrrrrrr!
Morrendo de calor, cansaço e querendo ver meu jogo na TV (pareço hômi!), só faltou acervejinha, eheh!
Depois da vitória no jogo meu ânimo começou a melhorar, convidei o marido para ir caminhar e ele aceitou, suei bastante. Tomei um banho ótemo e estava bem melhor.
Resumo da história, quando eu tiver elouquecida de novo eu vou ir embora para a minha casa. Pois ontem nem eu me aguentava, grrrrrrrrrrrrrrrrr!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Sabor dos homens


Atualmente temos a Mulher Melancia, Mulher Jaca, Mulher Moranguinho e tantos outros adjetivos Hortifrutigranjeiros desagradáveis à nossa classe. Diante da nova onda seguem algumas novas definições masculinas

HOMEM Camarão tem merda na cabeça, mas é gostoso e você come assim mesmo.
HOMEM Caranguejo: é feio e peludo, mas você bate nele, limpa direitinho e come.
HOMEM Pão: tem sempre o mesmo gosto, mas você come todo dia.
HOMEM Aperitivo: acompanhado de uma bebida você come e ainda acha bom.
HOMEM Maracujá: é todo enrugado, você come e depois sente vontade de dormir...
HOMEM Lagosta: só come quem tem dinheiro.
HOMEM Caviar: você sabe que alguém está comendo, mas não é ninguém que você conheça.
HOMEM Bacalhau: você só come uma vez por ano.
HOMEM Maionese de Fim de Festa: todo mundo te avisa pra não comer, mas você come porque está desesperada; arrepende-se e depois passa mal.
HOMEM Rã: todo mundo já comeu, menos você.
HOMEM Salada: é bonito, mas quando você come descobre que não é tão gostoso assim.
HOMEM Marmita: não é lá essa coisa, mas você come rapidinho.
HOMEM Cafezinho de Supermercado: você nem faz questão, mas como é de graça, você come.
HOMEM Jiló: é horrível, mas você conhece alguém que come.
HOMEM Docinho de Festa: todo mundo já comeu um..
HOMEM Cogumelo Venenoso: comeu, fez chá? Te tira da realidade
HOMEM Feijoada: você come e ele fica te enchendo o dia todinho.
HOMEM Coqueiro: pode trepar que não tem galho, liso
HOMEM Miojo: 3 minutos e pronto
HOMEM Coca 2 litros: Não é só você que está bebendo
HOMEM pé de chuchu: Ninguém nunca quer comer
HOMEM Bis: você come, repete e nem se lembra das calorias!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Pessoas com noção


Tá, para não falar só mal das pessoas da palestra, vou falar algo que quase ninguém no Brasil sabe. NÃO SE BATE PALMAS PARA HINO!
Sabia? Eu sabia.
então na tal palestra, na abertura, uma das educadoras cantou lindamente o hino à capela, uma voz forte um timbre maravilhoso, se fosse qualquer outra música ela seria ovacionada [não quer dizer ser cravejada de ovos, tá?]. Mas como são todas pessoas cultas mas não educadas, ninguém bateu palmas.
Porque não pode bater palmas para hino?
Mas, confesso que fiquei com peninha dela, ela cantou tão bonito e ninguém elogiou!

Pessoas sem noção [3]


Gente, desse jeito isso vai virar uma trilogia, praticamente uma tele novela!
Sabe aquele aviso, desliguem os seus celulares ou coloquem no modo silencioso?
Pois é, tem pessoas que não podem perder nenhuma ligação e deixam o celular chamando!
Então, na dita palestra do post anterior, toca um celular de uma véia senhora idosa. E o toque era o que? Um belíssimo coachar de sapos, tenha dó! E o pior, a véia senhora idosa atendeu o celular e ficou falando alto [pessoa sem nenhuma noção].
Agora diz, eu mereço?

Pessoas sem noção [2]


Definitivamente não sou eu que estou ficando velha e sim as pessoas que não tem noção de comportamento e educação!
Estou participando de um seminário/simpósio e ontem a noite foi o primeiro dia. Sentei em um lugar ao lado de umas pessoas, pois cheguei e já estava meio lotado. Daí então veio uma senhora manca deficiente física e senta na minha frente. Pois num dado momento em que a palestrante falou alguma coisa que elas acharam interessante, a mulher que tava co meu lado e a outra senhora manca deficiente física começaram um animado bate-papo. Convém frisar que o debate se dava em torno de Educação Social, qualquer semelhança com Des-Educação é mera coincidência.
Tipo, elas são professoras, e DUVIDO que deixem os seus alunos conversar animadamente dessa maneira em sala de aula. Mas professor PÓÓÓÓDE!
Fiquei mega irritada com a situação e hoje cuidei para sentar bem longe das mal educadas.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Pessoas sem noção [1]


Gente, não sei se eu é que tô ficando velha idosa, mas hoje eu vivi uma situação em que achei algumas pessoas sem noção. Imaginem a cena:
Na faculdade tem um espacinho disputado à tapas onde dá para puxar um ronco na maior tranquilidade. Tem puffes, o ar condicionado é perfeito e tem até uma TV ligada na sessão da tarde para ajudar o sono a chegar (eheh!). Cheguei bem cedo ao paraíso... Achei um puffe para esticar o esqueleto até a hora do compromisso da noite. estava dormindo feliz que nem vi que os colegas de puffe ao lado tinham mudado (ferrada no sono). Todas pessoas muito educadas, silenciosas digo eu!
Eis que chega uma dupla de duas mulheres (sempre, aff!) Na maior conversa, altas risadas e adentram o paraíso e se instalam no chão, continuam a conversa, mas até baixam o tom de voz. Lógico que elas acordaram meio mundo, fiquei P da vida e fui embora.Mas tipo, o lugar tem até meia-luz É PARA DORMIR MESMO! E as sem-noção chegam lá conversando e uma delas até passando uma pomada gosmenta numas perebas da perna, ugh!
Ninguém merece!

Enfim, dormi, mas nem tanto como queria e já que sobrou tempo tô escrevendo aqui, rs!
Fui!

domingo, 2 de novembro de 2008

Casório de última hora [2]


Vai casar amanhã? Pode me convidar que eu vou! O Casório mencionado no post anterior foi muito dez! Per-fei-to!
Só fomos embora as 2 horas da manhã pois tínhamos que subir a serra de volta para casa! Por mim eu ficaria dançando até o fim da festa!
Ganhamos duas taças com o monograma dos noivos!
Muita felicidade amigos! F & C

sábado, 1 de novembro de 2008

Casório de última hora


Vocês já foram convidados para um casório de véspera? Eu já, duas vezes. e pasmem! Pela mesma pessoa!
Uma amiga minha, uma noite me ligou perguntando:
- Fabi, o que tu vai fazer amanhã de manhã às 11 horas?
- Nada, por que?
- Quer ser minha madrinha no civil?
- Como assim?
- É que eu e o ... vamos casar amanhã no civil e ele esqueceu de me avisar, só lembrou disso hoje!
- Ah! Nossa, que romântico isso.
Mas tudo bem, fui ser testemunha no cartório. O casório durou 7 anos (olha a crise dos 7 anos aí!).
Então no dia 24/10 essa mesma amiga me mandou um scrap no Orkut pedindo meu endereço para enviar o convite do seu casamento. Dessa vez com o amor da vida dela e talz e no religioso e civil, tudo como manda o figurino.
Mandei no mesmo dia um mail com o endereço.
Então ontem (31/10) vi uma mensagem no Orkut dela dizendo que ia casar dia 1/11. Tipo HOJE!
Lá fui eu catar roupa, marcar manicure e pedicure para tratar os cascos, e ontem era feriado aqui na minha cidade!
Valha0me Deus, não façam isso com os seus convidados, tá?
Bem, tomara que seja um festão
PS.: amiga, boa sorte no casório, ainda bem que não sou testemunha...