Esse blog é uma verdadeira caixa de retalhos, escrevo tudo o que quero, lê quem quiser e comenta quem acha alguma coisa.

domingo, 10 de outubro de 2010

Cena inusitada!

Estávamos voltando para casa ontem à noite, por volta de 23:30 e vimos uma cena inusitada depois de passarmos por um posto policial na estrada.
O ônibus foi parado e todos os passageiros tiveram que seguir até o destino a pé! Isso mesmo! Por volta de 40 pessoas caminhando no acostamento aquela hora, no escuro e podendo sofrer atropelamentos!
Aqui na região é bem comum alguns ônibus fazerem o transporte de pessoas que moram afastadas e querem ir a bailes e não tem carro ou carona. Esses ônibus então fazem uma espécie de linha que leva as pessoas até os bailes. Elas pagam a passagem na ida que vale para a volta também. Os ônibus, certamente, não tem a famigerada lista do DAER de passageiros.
Essas pessoas tiveram que caminhar a noite, por alguns km para chegar a seu destino. Se acontece algo com elas no trajeto, quem se responsabiliza?
Bem ao lado delas estava um Fiat 147 (imaginem a cena), preto andando a toda velocidade (que lhe era permitida) e muito, mas muito próximo do acostamento onde caminhavam as pessoas, se ele chega a perder a direção (o que poderia facilmente acontecer) muitas pessoas seriam atropeladas! Por causa de uma lista de passageiros? Achei total a falta de responsabilidade da polícia em permitir que as pessoas seguissem a pé o trajeto, sendo que mais adiante teriam que cruzar as duas pistas de mão dupla para chegar ao destino!
Será que era realmente necessário apreender o veículo? Não seria mais prudente acomapanhar o ônibus até o local e depois lá fazer a apreensão? Como essas pessoas voltaram depois do baile para casa?
Nossa, fiquei realmente muito chocada com a cena!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

ORAÇÃO DA SERENIDADE

"Eu seguro minha mão na sua e uno meu coração ao seu, para que juntos possamos fazer aquilo que sozinho não consigo".
Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras.
FORÇA, FÉ E ALEGRIA

Essa oração é parte dos grupos de apoio Narcótico Anônimos e Alcoólicos Anônimos, mas também pode fazer parte do nosso dia-a-dia. Muitas vezes não temos serenidade para enfrentar os obstáculos diários que temos em nossa vida, ficamos abalados com os pequenos reveses da vida e não nos damos conta de que a resposta para os nossos anseios está ao nosso lado. A calma e a serenidade são elementos básicos para podermos avaliar melhor a situação e agirmos com cautela na decisão das situações que precisamos resolver.
Avalie bem se o seu problema não é menor do que imaginas, se olhares para ele com maior serenidade!

Eleições: Só no Brasil mesmo...

Tenho acompanhado as pesquisas eleitorais com apreensão...
Vários candidatos sem nenhuma experiência em política liderando as pesquisas. No RS temos o exemplo de Ana Chata Amélia Lemos. Ela era comentarista política em Brasília e agora se candidatou ao Senado e lidera as pesquisas para tal cargo.
Dilma nem se fala... Bem, mas o Lula também tinha a profissão de candidato à presidência por muitos anos e foi eleito duas vezes... A Dilma se elege, talvez até no primeiro turno, e esquenta a cadeira para o Lula voltar em quatro anos... Se isso é bom ou não, não sei, mas o futuro dirá...
Agora o pior de tudo é em São Paulo o Tiririca estar liderando as pesquisas, isso prova que o povo brasileiro é muito burro mesmo! Mas se bem que a política está cheia de palhaços mesmo, agora botarão um de verdade lá! Um dia ele ainda se elege presidente!!!

terça-feira, 13 de julho de 2010

Frio x Estados

Aproveitando que deu uma esfriadinha aqui nos Pampas, um pouco de humor...
  • 30ºC ou mais...
    • Baianos vão à praia, dançam, cantam e comem acarajé.
    • Cariocas vão à praia e jogam futebol.
    • Mineiros comem um "queijin" na sombra.
    • Todos os paulistas estão no litoral e enfrentam 2 horas de fila nas padarias e supermercados da região.
    • Catarinenses e Gaúchos esgotam os estoques de protetor solar e isotônicos da cidade.

  • 25ºC
    • Baianos não deixam os filhos saírem ao vento após as 17 horas.
    • Cariocas vão à praia, mas não entram na água.
    • Mineiros comem um feijão tropeiro.
    • Paulistas fazem churrasco nas suas casas do litoral, poucos ainda entram na água.
    • Catarinenses e Gaúchos reclamam do calor e não fazem esforço devido ao esgotamento físico.

  • 20ºC
    • Baianos mudam os chuveiros para a posição "Inverno" e ligam o ar quente das casas e veículos.
    • Cariocas vestem um moletom.
    • Mineiros bebem pinga perto do fogão a lenha.
    • Paulistas decidem deixar o litoral, começa o trânsito de volta para casa.
    • Catarinenses e Gaúchos tomam sol no parque.

  • 15ºC
    • Baianos tremem incontrolavelmente de frio.
    • Cariocas se reúnem para comer fondue de queijo.
    • Mineiros continuam bebendo pinga perto do fogão a lenha.
    • Paulistas ainda estão presos nos congestionamentos na volta do litoral.
    • Catarinenses e Gaúchos dirigem com os vidros abaixados.

  • 10ºC
    • Decretado estado de calamidade na Bahia.
    • Cariocas usam sobretudo, cuecas de lã, luvas e toucas.
    • Mineiros continuam bebendo pinga e colocam mais lenha no fogão.
    • Paulistas vão a pizzarias e shopping centers com a família.
    • Catarinenses e Gaúchos vestem uma camisa de manga comprida.

  • 5ºC
    • Bahia entra no Armagedon.
    • César Maia lança a candidatura do Rio para as olimpíadas de inverno.
    • Mineiros continuam bebendo pinga e quentão ao lado do fogão a lenha.
    • Paulistas lotam hospitais e clínicas devido a doenças causadas pela inversão térmica.
    • Catarinenses e Gaúchos fecham as janelas de casa.

  • 0ºC
    • Não existe mais vida na Bahia...
    • No Rio, César Maia veste sete casacos e lança o "Ixxnoubórrdi in Rio".
    • Mineiros entram em coma alcoólico ao lado do fogão a lenha.
    • Paulistas não saem de casa e dão altos índices de audiência a Gilberto Barros, Gugu Liberato, Luciana Gimenes e Silvio Santos.
    • Catarinenses e Gaúchos fazem um churrasco no pátio, antes que esfrie.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Sim, eu tenho Espelho!

Recebi um comentário sobre uma postagem antiga onde eu comentava fotos de famosas de biquini. A pessoa perguntava se eu me sentia bem criticando as pessoas, se eu não tinha espelho em casa e ainda por cima me indicava a psicanálise para tratar o problema.
Pois bem, eu tenho espelho e tanto sei da minha condição que quando vou a praia eu não exibo meu corpo fora de forma com lacinhos minúsculos, para preservar os olhos alheios de tamanha aberração, eu apenas vou no mar tomo um banho e volto para casa e coloco uma roupa para esconder as banhas.
Estava comentando fotos de famosas, que estão na internet e mostrando que elas são como nós, estão com quilos a mais e que não são perfeitas como o mundo Photoshop nos apresenta nas milhares e milhares de revistas maquiadas que existem ao redor do mundo.
Quanto a terapia, sim, farei, assim que tiver meu primeiro salário que não tarda a chegar. Agora, psicanálise, não tenho cacife para várias sessões semanais a valores faraônicos.
A gente é como a gente se vê!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Acabou...

Essa foto é bem antiga, mas exprime muito bem o sentimento que eu tinha hoje... Eu estava pintada de verde, amarelo e azul para ver esse jogo, mas infelizmente alaranjou tudo e agora está tudo cinza...
Agora só sei de uma coisa, vou torcer para qualquer um, menos para a Argentina, pois ninguém quer ver o Maradona pelado, né mesmo?
É a treva!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

O Amor da Sua Vida

Recebi do meu irmão Jean por e-mail e não pude deixar de copiar aqui, pela verdade que esse texto de autoria de Roberto Freire contém...

O AMOR DA SUA VIDA
  
Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não-fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão.

O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Costuma ser despertado mais pelas flechas do cupido que por uma ficha limpa.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco, você a levou para conhecer a sua mãe e ela foi de blusa transparente.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina o Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam.

Então? Então que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário, ele escuta Egberto Gismonti e Sivuca. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha.

Ele não tem a maior vocação para príncipe encantado, e ainda assim você não consegue despachá-lo. Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita de boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara? Não pergunte para mim.

Você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes de Woody Allen, dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem o seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo.

Com um currículo desse, criatura, por que diabo está sem um amor? Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos tem às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é.

Roberto Freire

segunda-feira, 21 de junho de 2010

E daí? Já arrumou trabalho?

Estou passando uma entressafra entre o ser estudante e o ser profissional, não gosto da nomenclatura "desempregada" embora seja a minha atual situação, prefiro dizer que estou à procura de trabalho, porque "desempregada" indica algo estático, uma conformidade com a situação, o que não é, nem de longe minha posição frente à minha situação atual.


Mas também não estou numa situação de desespero, ainda tenho uma "maridrocínio", mas também ele não é nenhum megarrico que pode me sustentar com folgas, longe disso.
O que mais tem me incomodado é a situação de que, estando formada em psicologia, as pessoas achem que não sirvo para trabalhar em outra posição, mesmo que seja em algo que eu já tenha trabalhado, parece que com o "status" de psicóloga, eu deixo de ser útil em qualquer outra posição que não seja essa...
Para quem está a procura de trabalho há algum tempo, como eu, já começa a cair na real que a colocação dos sonhos não está disponível nesse momento. Mas na realidade, eu não veria problema nenhum em começar em outra área de uma empresa e com o tempo ir conquistando outros espaços para quem sabe um dia poder ser chamada de psicóloga organizacional. Não tenho medo do trabalho...
Mas isso demanda uma grande mudança de paradigmas no pensamento mecânico onde, o formado precisa trabalhar na área em que se formou, muitas vezes não. 
Outro problema é a falta de qualificação para o mercado de trabalho na área organizacional da psicologia, no meu curso, tivemos apenas notícias de que isso existia, se eu não entrar como assistente de outra psicóloga, para aprender na prática o que vi na faculdade, jamais conseguirei chegar a um cargo onde possam me chamar de psicóloga...
E, o que mais me irrita é a pergunta das pessoas, a cada vez que me encontram:
- E daí? Já arrumou trabalho?

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Novos ares...

Adorei as novas possibilidades de layout, estava na hora do Blogger modernizar seu sistema de layout e dar mais opções à blogsfera de fazer as modificações. E como eu já estava cansada da cara do meu blog, resolvi aderir, talez isso me dê mais ânimo para escrever aqui nesse velho canal...
Atualmente minha diversão tem sido a Copa do Mundo, já que sou uma reles desocupada, não tenho nada melhor para fazer mesmo...
Quando eu tiver algo realmente importante para dizer, eu prometo que escrevo aqui =D

domingo, 16 de maio de 2010

Bárbara Paz - Saia Mega Justa!

Estava assistindo hoje no Fautão a entrevista com a Bárbara Paz e achei muito chata a situação que ela ficou no programa, acho que a equipe deveria ter filtrado as coisas que a família falou dela. Tenho visto a vários quadros semelhantes e em todos eles a famílila fala coisas importantes, legais e emocionantes.
Mas as irmãs da Bárbara não pouparam críticas a ela. Não interessa o que aconteceu no passado, quando você dá um depoimento para a TV, isso fica gravado, elas poderiam ter explicitado o lado positivo e não colocado todo seu rancor e mágoa em rede nacional. Nossa, eu ia odiar que fizessem lavagem de roupa suja em rede nacional, se não tem nada de bom para falar de mim, não fala nada!
Mas eu acho que o lance ali é de inveja mesmo, as irmãs sentem inveja da irmã famosa, que alçou voo e foi para longe. E devem ter aquela imagem que todos temos de quem aparece na TV não tem problemas de grana, tem muito tempo livre e pode passar o tempo todo só descansando. É uma imagem idealizada, a irmã famosa tem que pagar nossas contas todas, ligar todo dia para cada membro da família e ainda mandar presenes mil.
Fiquei mega chateada com a entrevista, gosto dela, é quase minha conterrânea, já que Campo Bom é vizinha de Novo Hamburgo. Seja como for, mesmo que tudo o que elas falaram seja verdade, elas poderiam ter sido mais generosas com a irmã, em especial a irmã que falou por último, pois as outras reconheceram que errara, pediram desculpas, mas a última que falou apenas destilou o veneno para cima da Bárbara que tratou de colocar panos quentes na saia justa.
Nossa, péssimo isso!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Poema de Homenagem às Mães


Homenagem às Mães

Quisera ter a ciência
Pra cantar em poesia.
Mas me falta conhecimento
Assim como experiência,
Da métrica e da rima
Com se faz a melodia,
Que segue lista o choro da prima.

Quisera ter a ciência,
Para engendrar em poesia,
As idéias e pensamentos
Em compassada métrica,
Das odes e líricos sonetos.
Quisera ter a ciência,
Pra poder cantar em poesia,
O que se entende por magia,
Que vem contida, escondida
No coração de uma Mãe.
De poder desvendar,
Para poder com mais calor,
Num abraço demonstrar
De um filho seu amor.


Ah! Se eu pudesse,
Dar de mim toda a ternura
Para entregá-la em favor
De uma Mãe seu amor.
Oh! Quão feliz eu seria
De andar sempre a porfia
Ao lado de minha Mãe.
Então sim compreenderia
O porquê do seu sorriso,
Ainda que em sofrimento.

Oh! Como não temos memória.
Não lembramos com constância.
Dos tempos da nossa infância,
Tempo de luta e cuidados
Que a Mãe dedica ao filho.
Parece que tem um anilho,
Que a prende firmemente
Ao seu pequeno rebento,
Sem choros e sem lamentos,
Num cuidado tão especial.

Oremos ao Pai Celeste,
Que das alturas do céu,
Vigia as Mães deste mundo.
Elevemos a Deus nossas preces
Pra que Ele sempre esparja
Para as Mães suas benesses.
Que conceda a todas elas,
Os enlevos de seus filhos,
Pra que possam, neste mundo,
Gozar tranqüila as delícias
Do conforto filial.

 Autoria do meu querido tio Elomar Adão Magrinelli Johansson

sábado, 8 de maio de 2010

Para a minha Mãe!

Mãe não é aquela que dá tudo o que o filho pede, mas sim,, aquela que mostra o verdadeiro valor de cada pequena coisa...
Lembro-me da minha infância, éramos uma família que vivia num minúsculo apartamento no centro da cidade, financiado em milhares de vezes e que ambos pais trabalhavam para poder dar o mínimo para a família, e poder pagar as contas do mês.
Era uma época muito difícil de alta inflação, os preços mudavam quase que diariamente e o salário não...
Quando tinha uma boa promoção no mercado se fazia estoque, havia o rancho do mês, pois dali uma semana, tudo estaria bem mais caro.
Mas havia as pequenas alegrias... Minha mãe ia regularmente até Porto Alegre e sempre esperávamos ansiosamente seu retorno, pois ela sempre trazia alguma coisa, uma bobagenzinha que criança tanto gosta.
Quando éramos menores, eram os livrinhos de pintar e fazer atividades, depois, mais tarde, quando isso já não tinha mais nenhuma utilidade, ganhávamos uma roupa...
Nessa época, iogurte era presente, quando eu ia no mercado com meus avós, eles compravam um potinho para mim, e eu saboreava como se fosse um manjar dos deuses...
Pode até ser saudosismo, mas acho que naquela época as crianças davam mais valor às pequenas coisas... Tudo era muito batalhado, brincávamos mais com pequenas coisas, construíamos nossos brinquedos com nossa imaginação. 
Também os pais e mães tinham muito mais autoridade, um não era não, mas era muito bem argumentado, aprendi com minha mãe a não aceitar as coisas sem saber o porque da decisão, mas quando não havia mais argumento, era hora de parar de questionar e aceitar.
Não quer comer? Ok! Seu prato ficará ali no forno, a hora que tiver com fome, vai lá e pega o que restou para comer... Com isso aprendi a gostar de arroz com feijão frio... Hehehe!
Ninguém ficava correndo atrás para enfiar comida goela baixo, (se bem que no início tentaram), como vemos muitas mães fazerem hoje em dia.
A grande mensagem que se pode deixar às mães nesse dia é: Não tenham medo de negar coisas a seus filhos, há que se aprender sobre a frustração, há que se dar o real valor às pequenas coisas, a banalização dos valores faz com que as crianças não aprendam mais a frustrarem-se e isso leva a querer cada vez emoções mais fortes e intensas, às quais as drogas parecem ser um ótimo subterfúgio...
Com isso eu só tenho a dizer:
Mãe! 
Muito obrigada por me ensinar a frustrar-me e a batalhar pelas coisas que eu desejo, sem esse grande valor eu não seria o que sou hoje, uma pessoa íntegra e feliz!
Te amo Dona Mirian!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Fio Dental

Tenho um ranço com essa Luana Piovani, acho que ela fala demais e sempre está criticando os outro para sair por cima, vi num site que ela fala que mulher de biquini fio dental é cafona.
Eu discordo, acho que cada um usa o que quiser, mas sempre olhando muitas vezes no espelho antes para não sair na rua que nem essa moça daqui:
Imagens: Aqui
Benzadeus! Mas tudo bem se você for uma Pseudo-celebridade e estiver posando para uma revista masculina, o Photoshop te salva dessa!
Ahahaha!

terça-feira, 27 de abril de 2010

Sumiço

Minha vida está tão sem nada que nem tenho assunto para publicar aqui no blog...
Não sei o que escrever, mas não queria deixar isso daqui tão no vácuo...
Ahh! Uma coisa boa é que uma calça que eu tinha exportado do meu armário, voltou, experimentei e até já entro nela... Antes nem subia do meio da perna... Ainda não fecha, mas logo irá fechar!
Estou bem feliz com o resultado, apesar de que no período TPM seja muito difícil segurar a gula! Por outro lado, tenho ido na academia mesmo com dias como ontem, nublados e chuvosos! É difícil entrar nos eixos, mas eu estou conseguindo! Não sei quanto tempo vou durar na musculação até enjoar...
Imagem: Smokinpot.org
Quando eu ficar com um corpo que nem da moça da foto eu posto uma foto minha mesmo, só não vou ficar loira, ahahah!
Soooooooooooooooooonha!

sábado, 27 de março de 2010

Histórias da Fila...

Bem, eu tinha ficado de contar sobre a fila do SUS, mas na realidade, essa história pode fazer parte de qualquer fila, onde tenha uma mãe e uma criança.
Longe de mim querer falar algo a respeito da criação de filhos, até porque não os tenho para saber como eu faria, mas como sou psicóloga, entendo um pouquinho de psicologia da criança...
Bem, depois dessa desculpa esfarrapada, vou contar o causo.
Estava eu lá na fatídica fila, me protegendo da chuva quando chega uma mulher com um menino. Juro que achei que era a avó dele, mas isso não vem ao caso... A diversão do guri era colocar a mão na goteira e "limpar" a parede que estava suja, óbvio que a avó mãe odiou a brincadeira e falou o seguinte para tentar fazer o guri parar com aquilo:
- Se tu não te comportar eu te levo para a escolinha! Tu quer ir para a escolinha?
O guri já com cara de choro fez sinal com a cabeça que não.
- Pois eu já te disse, se tu te comportar bem, fica só com a mãe, senão vai para a escolinha que é o lugar das crianças que não se comportam bem vão, pois lá eles ensinam a se comportar direito!Imagem: familia.sapo.pt
Não contente ainda com o massacre na pobre mente infantil ela ainda me lasca essa:
- Tá ouvindo as crianças chorando? (Tinha uma escola bem perto dali e se ouvia aquele barulho característico de gritos de crianças brincando no pátio da escola) É, elas estão chorando porque estão na escola e elas estão na escola porque não se comportaram bem!
Minha nossa! Eu tive que me segurar para não falar nada! Onde é que já se viu fazer uma coisa dessas? Imaginem quando essa criança precisar ir para a escola? Será um caos e a mãe vai se perguntar do porque do pânico de escola... Sério, eu estava me segurando para não dizer umas verdades, mas ómmmmmmm, não se mete onde não te pediram opinião, ómmmmmmm, pobre criança, ómmmmmm...
É por essas e outras que tem tanta criança "hiperativa".
E tenho dito...

quarta-feira, 24 de março de 2010

SUS

Imagem: Site do Psol

Dei uma de Luciana hoje e fui ver como as coisas acontecem na prática! Já ouvi de tudo do SUS tanto pessoas que foram muito bem atendidas quanto pessoas que só reclamam do atendimento.
Bem, vou contar como foi minha experiência e já estou dizendo que foi minha, de mais ninguém, cada um que tire suas conclusões.
Na semana passada fui até a UBS Centro de Bento Gonçalves, para agendar uma consulta, ficou marcada para dali uma semana, às 13h 40min. O atendimento do balcão foi preciso, nem mal humorado, nem simpático, atendeu e pronto. Saí com uma boa impressão, pois eu tinha um horário e pensei, nossa, isso funciona!
Bem, fui até a UBS e cheguei bem antes do horário marcado, por volta das 13h. Chovia... Muitas pessoas esperando lá fora, idosos, crianças, homens mulheres... Pouco lugar para abrigo da chuva... Imagina como é no inverno... Lá dentro já havia atendentes, bancos sequinhos, abrigo da chuva e nós lá fora, esperando o atendimento.
Pausa para reflexão: Se a UBS é o local de referência, aquele que se vai por primeiro, ele não deveria ter um médico para pronto-atendimento e que atendesse também ao meio dia?
Despausa.
Ficamos lá fora sendo observados pelas atendentes sequinhas lá dentro e que só abriram a porta às 13h 30min passados. Foi o toque da boiada. Eu como nada sabia, entrei calmamente pois eu tinha hora marcada.
Rá! Era por ordem de chegada, todos tinham o mesmo horário! Passaram os idosos por primeiro que acho justo, mas eu fiquei com a ficha 6.
O que não é de todo mal, pois a grande maioria ficou menos de 2 minutos no consulório. Era só cara-crachá-cara-crahá!
Eu demorei (5 min) porque tive que mostrar o meu pé que tem umas perebas embaixo e o médico me deu um remédio que pelo que eu li na bula é para parasitas muito fodásticos!
Credo! Fiquei com medo, fui olhar o Gúgle e só vi tragédia nos nomes que tinha na bula. Bem, vai ver que resolve, se bem que eu acho que cauterizando já ajudava... Mas daí ele ia ter que encostar em mim...
Em suma, demorei por volta de uma hora no processo todo, mas pelo menos foi de grátis, até mesmo o medicamento, que peguei na farmácia ao lado da UBS. Tomara que as perbas morram...
Em outro post eu conto as histórias da fila, e pós-fila...
(continua...)

quarta-feira, 17 de março de 2010

Odeio gente folgada!

A porta do edifício onde moro não abre pelo interfone, somente o portão. Não me perguntem por que. Mas enfim... Isso gera uma série de descidas pela escada, sim, pois além de não abrir a porta não tem elevador, sim, o prédio é uma cacaca!
Bem, mas o que eu queria falar (escrever) é que meus vizinhos são um bando de folgados! Além de gritarem até as 2h da manhã, mas isso é assunto para outro post.
Bem, a vizinha de baixo esquece a chave e toca no meu apartamento para abrir o portão. Uma vez eu abri, era só apertar o botão do interfone, sim, tem interfone e sim, pelo menos o portão abre! Grandesbosta, porque igual tem que descer para abrir o raio da porta.
Mas enfim, não sei por que ela só tinha a chave do prédio e não do portão, sem noção plus!
Bom, hoje de tarde outro vizinho também tocou no meu apartmento, só que dessa vez era para descer e abrir a porta do prédio!!! Eu ainda quis argumentar para ele tocar em outro apartamento mais de baixo e ele disse que já tinha tocado em todos, fiquei puta da cara, mas desci e o FDP nem para me agradecer!
Ah, acabou! Não sou porteira do prédio!
Eu sempre levo a chave! Por que os outros não podem levar também?

sábado, 13 de março de 2010

Mortágua e o seu Jesus Luz - Que absurdo!

Estava eu no Twitter quando vejo que um dos Trending Topics Brasil era #Mortágua. Então fui dar uma conferida no que se falava sobre a moça e qual não foi minha surpresa ao ver o vídeo do Making of de um ensaio que ela fez com o filho.
Bem, seria fofo se o vídeo não fosse com os dois nus da cintura para cima, besuntados em óleo e o filho dando um beijo na boca da mãe, mas um beijo muito mais do que selinho, era o Correio inteiro!
O ensaio fotográfico é sensual e o garoto tem apenas 15 anos e mesmo que tivesse 18 anos, o bom senso diz que essas coisas se faz com um namorado, com um outro modelo, mas não com o filho. Bota Complexo de Édipo nisso, hein?
Olha bem a frase dela:
- “Estou melhor que a Madonna, né? Também tenho o meu Jesus Luz em casa”.
Ela só esqueceu o simples fato de que o Jesus Luz é namorado da Madonna e não filho dela!
Agora que a Vara da Infância e Juventude pediu a retirada das fotos do ar ela ainda acha ruim e diz:
- “Estou sem palavras. A que ponto nós chegamos? Por que a demonstração do amor de uma mãe por um filho pode causar tanta polêmica? Se ele fosse um jiu-jiteiro que desse surra em empregada doméstica por aí, ou se chegasse bêbado em casa, ou se drogasse… mas ele é um menino de ouro. E eu sou uma mãe que há 15 anos cuido sozinha dele e sei das minhas responsabilidades. Faça-me o favor!”
Realmente, faça-me o favor você, Mortágua!

Fontes: http://www.abril.com.br/blog/celebridades-que-causam/2010/03/foto-sensual-de-cristina-mortagua-e-filho-e-alvo-da-vara-da-infancia/ e http://noticias.r7.com/rio-e-cidades/noticias/cristina-mortagua-e-acionada-por-juizado-de-menores-do-rio-20100312.html

sexta-feira, 12 de março de 2010

O Vendedor de Sonhos - O Chamado

Estava na praia e por acaso minha cunhada me emprestou o livro para ler, já que o tempo não estava grandes coisa... Peguei o livro como quem não quer nada e resolvi ler para ver qual era...
Amei...
É um livro que prende à leitura e que realmente vende sonhos de um mundo melhor, fiquei pensando se isso seria possível e seria! Muitas vezes não nos damos conta de quanta diferença podemos fazer numa simples conversa, podemos mudar o rumo da vida das pessoas...
Recomendo a leitura e já estou com muita vontade de ler a continuação...

quarta-feira, 10 de março de 2010

Experiência

O que é considerado experiência?
Experiência de vida, experiência no trabalho, experiência... É algo muito particular, pois de que adianta ter experiência e continuar fazendo tudo igual? Ou seria melhor que a pessoa não tivesse experiência em nada e pudesse se experimentar em algo novo? Como a pessoa vai iniciar no trabalho se ninguém lhe dá oportunidade por não ter experiência? E como vai ter experiência se não consegue trabalho?
É o nosso mercado cruel com os iniciantes, mais cruel ainda com os que já saíram do perfil desejado, ou seja o pessoal com mais idade... É um sistema excludente de trabalho, pela grande oferta atual.
Estou na procura de uma colocação de trabalho, recém-formada em psicologia, e o que mais escuto é que não tenho experiência na área...
E a minha facilidade em aprender? E as minhas ideias que podem ser colocadas em prática? A teoria que tanto estudei nesses anos de faculdade? Nada disso conta?
Para o mercado, não.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Mudança

Amanhã fazemos nossa mudança... Vamos para outra cidade, vamos mudar de casa para apartamento, é muita modificação ao mesmo tempo... Mas estamos indo rumo a uma cidade maior e cheia de novas possibilidades, o desconhecido nos espera...
Até agora tínhamos morado em uma de nossas cidades de origem, primeiro na minha e depois na dele, sempre com o apoio das familias nesses lugares. Agora vamos para um "campo neutro" nem meu, nem dele, mas nosso! Será nosso momento de voar solo e constrir novos territórios, novos mapas, só nossos...
Penso que nesse momento, o papel das amizades terá outro lugar em nossas vidas, não por minha vontade, mas nós nunca fomos de ser anfitriões, daqueles casais que todo final de semana tem programação e a casa cheia de amigos... Eu adoro isso, mas meu marido já é bem mais reservado... Só que agora com as famílias a 100km de distância teremos que buscar outras formas de convívio social e acho que a situação vai pender mais para o meu lado, vou buscar impor um pouco mais o meu jeito sociável e ver se eu tiro meu marido de dentro da concha...

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Enfim, Psicóloga!

Momento mágico! A concretização de milênios de estudo! Dia perfeito!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Formatura

Amanhã é minha formatura e estou muito feliz com essa realização!
Tomara que seja tudo perfeito, e assim que eu me recuperar da imensa dose de alegria eu venho aqui contar como foi tudo!

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Seu apartamento é Feliz? - Martha Medeiros

O texto abaixo foi publicado em Zero Hora - 24/01/2010 e a autoria do mesmo pertence a Martha Medeiros, apenas reproduzo.

Dia desses fui acompanhar uma amiga que estava procurando um apartamento para comprar. Ela selecionou cinco imóveis para visitar, todos ainda ocupados por seus donos, e pediu que eu fosse com ela dar uma olhada. Minha amiga, claro, estava interessada em avaliar o tamanho das peças, o estado de conservação do prédio, a orientação solar, a vizinhança. Já eu, que estava ali de graça, fiquei observando o jeito que as pessoas moram.
Li em algum lugar que há uma regra de decoração que merece ser obedecida: para ode quem que se olhe, deve haver algo que nos faça feliz. O referido é verdade e dou fé. Não existe um único objeto da minha casa que não me faça feliz, pelas mais variadas
razões: ou porque esse objeto me lembra de uma viagem, ou porque foi um presente de uma pessoa bacana, ou porque está comigo desde muitos endereços atrás, ou porque me faz reviver o momento em que o comprei, ou simplesmente porque é algo divertido e descompromissado, sem qualquer função prática a não ser agradar os olhos.
Essa regra não tem nada a ver com elitismo. Pessoas riquíssimas podem viver em palácios totalmente impessoais, aristocráticos e maçantes com suas torneiras de ouro, quadros soturnos e enfeites arrematados em leilões. São locais classudos, sem dúvida, e que devem fazer seus monarcas felizes, mas eu não conseguiria morar num lugar em que eu não me sentisse à vontade para colocar os pés em cima da mesinha de centro.
A beleza de uma sala, de um quarto ou de uma cozinha não está no valor gasto para decorá-los, e sim na intenção do proprietário em dar a esses ambientes uma cara que traduza o espírito de quem ali vive. E é isso que me espantou nas várias visitas que fizemos: a total falta de espírito festivo daqueles moradores. gente que se conforma em ter um sofá, duas poltronas, uma tevê e um arranjo medonho em cima da mesa, e não se fala mais nisso. Onde é que estão os objetos que os fazem felizes? Sei que a felicidade não exige isso, mas para que ser tão franciscano? Um estímulo visual torna o ambiente mais vivo e aconchegante, e isso pode existir em cabanas no meio do mato e em casinhas de pescadores que, aliás, transpiram mais felicidade do que qualquer apê cinco estrelas. Mas grande parte das pessoas não está interessada em se informar e em investir na beleza das coisas simples. E quando tentam, erram feio, reproduzindo em suas casas aquele estilo showroon de megaloja que só vende móveis laqueados e forrados com produtos sintéticos, tudo metido a chique, o suprassumo da falta de gosto. Onde o toque da natureza? Madeira, plantas, flores, tecidos crus e, principalmente onde o bom humor? Como ser feliz numa casa que se leva a sério?
Não me recrimine, estou apenas passando adiante o que li: pra onde quer que se olhe, é preciso alguma coisa que nos deixe feliz. Se você está na sua casa agora, consegue ter seu prazer despertado pelo que lhe cerca? Ou sua casa é um cativeiro com conforto necessário e fim?
Minha amiga ainda não encontrou seu novo lar, mas segue procurando, só que agora está visitando, de preferência, imóveis já desabitados, vazios, onde ela possa avaliar não só o tamanho das peças, a orientação solar, o estado de conservação, mas também o potencial de alegria que os ex-moradores não souberam explorar.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Saudades...


Quando eu era mais nova jamais me imaginava casa, dizia que casar era coisa para louco, enfim, casar não casei, mas tenho uma relação estável há 7 anos, namorei por 4 meses e fomos morar juntos. Estamos juntos há 7 anos.
Agora, ele mora em outra cidade por conta de um novo trabalho, ainda não me mudei e tô pirando aqui sozinha. Juro que jamais imaginei que alguém fizesse tanta falta na minha vida. Não sou de sentir saudades de qualquer pessoa, posso ficar tempos sem falar com amigas minhas, elas reclamam que eu não ligo, mas muitas vezes o dia-a-dia faz isso com a gente, esquecemos de dar atenção aos que amamos.
Mas agora vejo a falta que ele me faz quando fico esperando a ligação dele a noite e o quanto fiquei triste quando precisei ir embora no final de semana que fui visitá-lo na cidade onde ele está. Mesma sensação experimentada na época em que namorávamos e ele me levava para casa depois de termos passado o final de semana juntos!
Não vejo a hora de morarmos juntos novamente!
Saudade doi demais...

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

2010 - Menos lixo na praia por favor!

A falta de educação tempo me impediu de vir aqui no Blog e dar todos aqueles comprimentos chatos tracidionais de boas festas blá, blá, blá Wiskas Sachet então depois de uns dias eu arrumo ânimo tempo para vir escrever...
Bem, o que posso contar das Festas? O Natal quase que não emplaca, o clima estava muito estranho, foi o primeiro Natal sem meu sogro, foi muito estranho, mas depois no amigo secreto o pessoal embalou e a festa ficou animada, mas no outro dia eu tinha a sensação de que o Natal ainda não tinha passado.
Já no almoço da casa da minha mãe o clima era totalmente diferente, o pessoal tava bem animado, demos muitas risadas, ouvimos música, suamos pra caramba no calor infernal de Nóia City, mas enfim, foi divertido!
O Ano Novo também foi entranho e olha que dessa festa eu gosto!
Estávamos na praia e choveu na noite do dia 31/12, então nem fomos à beira mar e eu nem joguei minhas rosas brancas no mar como faço todos os anos, fiquei pensando na poluição que é o povo todo jogando tralhas no mar...Imagem retirada do Blog: http://riodasostras.fot.br/

Aliás, eu salvei pelo menos umas três tartarugas de engolir pedaços de plástico!
Em quase todos os banhos de mar que eu tomei nesses dias em que fiquei na praia, eu tirei algo de dentro da água. Pedaços de plástico de picolé (2), garrafa de H2O (1)!
Como é que pode? Zé Povinho não aprende mesmo! O que custa levar para casa o lixo que produziu na areia da praia?