Esse blog é uma verdadeira caixa de retalhos, escrevo tudo o que quero, lê quem quiser e comenta quem acha alguma coisa.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Aviso Prévio

"O aviso prévio é um direito do trabalhador demitido sem justa causa. O empregado deverá trabalhar durante 30 dias saindo 2 horas antes ou poderá optar por fazer 23 dias consecutivos.
Como Gestor de Recursos Humanos acredito que o aviso prévio executado por vontade da empresa, torna o colaborador que cumpre essa determinação da lei sensivelmente desmotivado, não sendo útil para empresa e nem para o ambiente. Essa desmotivação vem do fato do indivíduo já saber que não mais serão necessários seus serviços.Outro fator que vejo como prejudicial no cumprimento do aviso prévio é o fato do indivíduo se tornar uma ameaça ao patrimônio da empresa, já que para ele normas, procedimentos e o zelo que deveria ter já não fazem parte de seu instinto, os indivíduos são únicos é que cada um acaba tendo uma reação adversa nesse momento de fragilidade, então, a conduta nesse caso deve ser observada de perto. É evidente que temos pessoas com uma índole definida, um caráter indiscutível que se apresentam de forma honrosa, mas mesmo assim será visível o desinteresse pela empresa, principalmente no aspecto psicológico.Durante os 15 anos de experiência na área administrativa, já encontrei com os mais diversos comportamentos nessas circunstâncias: colaborador alcoolizado, o que pode prejudicar a imagem da empresa frente a seus clientes, colaborador visivelmente desmotivado prejudicando o clima na organização, colaborador revoltado armando pequenos delitos dentro da organização, colaborador de índole duvidosa que acaba se revelando ativo e por sua vez causando ainda mais transtornos, entre outros.Acredito que a empresa que decide dispensar um colaborador, já deverá prontamente não mais contar com seus serviços, pois muitas são as conseqüências para a organização nessas condições, sejam elas financeiras ou psicológicas como no caso de afetar o clima organizacional.São por esses motivos básicos que a organização deverá ter sempre um plano de carreira e um plano de sucessão".

É muito complicado ser demitida, estou passando por isso, o aviso prévio se torna uma tortura, ainda mais quando se tem que finalizar coisas que não estavam a ponto de serem finalizadas. No meu caso, finalizar terapias, me despedir de pacientes que estão fragilizados e outros que melhoraram muito com o tratamento. Nunca é fácil, mas penso que algo melhor está por vir e vou cumprindo os dias, fazendo o meu trabalho, mas certamente sem a mesma vontade de antes...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Pensamentos redigidos!

Hoje falei do blog na minha terapia pessoal. Fui elogiada pela maneira com que expresso meus sentimentos aqui. Escrever sempre foi muito fácil para mim e utilizo esse espaço para extravasar sentimentos que não extravaso de outra forma. Tenho muita dificuldade de falar sobre meus sentimentos diretamente às pessoas, tem coisas que só falo na terapia e não chega a sair de lá, preciso mudar isso, mas por enquanto sigo escrevendo aqui e quem quiser ler, pode ler, se identificar e comentar!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Pessoas que não valem a pena...

Existem pessoas que entram na nossa vida e fazem a diferença. Depois de um tempo você analisa sua vida e vê que ela não teria a mesma graça e sabor se aquela pessoa não tivesse entrado em sua vida. E esse efeito é duradouro, mesmo que se passem muitos anos, essa pessoa ainda vai fazer parte das suas melhores memórias, mesmo que ela já tenha desencarnado ou até mesmo vocês não se vejam com a mesma frequência...


Já outras pessoas, aparentemente, fazem a diferença, por um tempo. Vocês tiveram um encontro tão intenso que parecia ser esse que comentei anteriormente, mas a outra pessoa não tem o entendimento do que significa esse encontro supremo, então ela se aborrece com algo que você tenha feito ou dito, pelo simples fato de não ter entendido a intenção e passa a te atacar, ou pior, deixa uma bela amizade se esvair por conta de uma bobagem.


Esse tipo de pessoa é aquela que não vale a pena. Não vale a pena resgatar uma amizade dessas, pois já tens muitas amizades que valem a pena! O que é preciso é valorizar mais as pessoas que valem a pena!
Será que você tem amigos que realmente valem a pena?

sábado, 18 de junho de 2011

Criatividade

Criatividade é uma palavra que engloba diversas capacidades. Uma delas é a de não ter preconceitos frente à novidades, para aceitar o novo e diferente, as opiniões diversas das nossas, de pessoas diferentes de nós. Pessoas duras não são criativas, elas apenas criticam negativamente as ideias diferentes das suas e descartam sem ao menos dar crédito a elas.
Quando uma ideia nova surge é preciso estudá-la antes de descartar, antes dizer que a ideia não é boa. Pior ainda é "delegar" a criatividade a outros, mas dando diretrizes. Assim se podam as possibilidades de inovação, de mudanças e de inovações.


Quando buscamos a criatividade não devemos nos tolher, nos defendendo, nos policiando. As melhores ideias surgem quando estamos relaxados e à vontade. E quando não entendemos a ideia de outra pessoa, ao invés de criticar de acordo com o que entendemos, devemos pedir explicações. Quanto mais buscamos entender o que o outro quer dizer, mas podemos ajudar nas ideias criativas. A busca deve sempre ser da equipe!

sábado, 28 de maio de 2011

A força das Palavras - Lya Luft

"Viemos ao mundo para dar nomes às coisas: dessa forma nos tornamos senhores delas
ou servos de quem as batizar antes de nós"

Palavras assustam mais do que fatos: às vezes é assim.

Descobri isso quando as pessoas discutiam e lançavam palavras como dardos sobre a mesa de jantar. Nessa época, meus olhos mal alcançavam o tampo da mesa e o mundo dos adultos me parecia fascinante. O meu era demais limitado por horários que tinham de ser obedecidos (por que criança tinha de dormir tão cedo?), regras chatas (por que não correr descalça na chuva, por que não botar os pés em cima do sofá, por quê, por quê, por quê...?), e a escola era um fardo (seria tão mais divertido ficar lendo debaixo das árvores no jardim de casa...).

Mas, em compensação, na escola também se brincava com palavras: lá, como em casa, havia livros, e neles as palavras eram caramelos saborosos ou pedrinhas coloridas que a gente colecionava, olhava contra a luz, revirava no céu da boca... E às vezes cuspia na cara de alguém de propósito, para machucar.

Depois houve um tempo (hoje não mais?) em que palavras eram cortadas por reticências na tela do cinema, enquanto sobre elas se representavam cenas que, como se dizia no tempo dos pudores, fariam corar um frade de pedra.

Ilustração Ale Setti

Palavras ofendem mais do que a realidade – sempre achei isso muito divertido. Palavras servem para criar mal-entendidos que magoam durante anos: 

.Você aquela vez disse que eu...

.De jeito nenhum, eu jamais imaginei, nem de longe, dizer uma coisa dessas....
.Mas você disse...
.Nunca! Tenho certeza absoluta!

Vivemos nesses enganos, nesses desencontros, nesse desperdício de felicidade e afeto. No sofrimento desnecessário, quando silenciamos em lugar de esclarecer. "Agora não quero falar nisso", dizemos. Mas a gente devia falar exatamente disso que nos assusta e nos afasta do outro. O silêncio, quando devíamos falar, ou a palavra errada, quando devíamos ter ficado quietos: instauram-se, assim, o drama da convivência e a dificuldade do amor.

Sou dos que optam pela palavra sempre que é possível. Olho no olho, às vezes mão na mão ou mão no ombro: vem cá, vamos conversar? Nem sempre é possível. Mas, em geral, é melhor do que o silêncio crispado e as palavras varridas para baixo do tapete.

Não falo do silêncio bom em que se compartilham ternura e entendimento. Falo do mal de um silêncio ressentido em que se acumulam incompreensão e amargura – o vazio cresce e a mágoa distancia na mesma sala, na mesma cama, na mesma vida. Em parte porque nada foi dito, quando tudo precisaria ser falado, talvez até para que a gente pudesse se afastar com amizade e respeito quando ainda era tempo.

Falar é também a essência da terapia: pronunciando o nome das coisas que nos feriram, ou das que nos assustam mais, de alguma forma adquirimos sobre elas um mínimo controle. O fantasma passa a ter nome e rosto, e começamos a lidar com ele. Há estudos interessantíssimos sobre os nomes atribuídos ao diabo, a enfermidades consideradas incuráveis ou altamente contagiosas: muitas vezes, em lugar das palavras exatas, usamos eufemismos para que o mal a que elas se referem não nos atinja.

A palavra faz parte da nossa essência: com ela, nos acercamos do outro, nos entregamos ou nos negamos, apaziguamos, ferimos e matamos. Com a palavra, seduzimos num texto; com a palavra, liquidamos – negócios, amores. Uma palavra confere o nome ao filho que nasce e ao navio que transportará vidas ou armas.

"Vá", "Venha", Fique", "Eu vou", "Eu não sei", "Eu quero, mas não posso", "Eu não sou capaz", "Sim, eu mereço" – dessa forma, marcamos as nossas escolhas, a derrota diante do nosso medo ou a vitória sobre o nosso susto. Viemos ao mundo para dar nomes às coisas: dessa forma nos tornamos senhores delas ou servos de quem as batizar antes de nós.


O texto publicado aqui é de autoria de Lya Luft que é escritora.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

O meu jeito

Por mais que tentemos agradar às outras pessoas, nunca agradamos a todos. Resolvi deixar de agradar e tratar as pessoas da forma como eu gostaria de ser tratada, se eu me equivocar, me digam, não fiquem me dando indiretas. 
Faço terapia tentando achar o meu jeito de ser, a gente se modifica tanto por outras pessoas que quando te perguntam, como é o teu jeito de lidar com essa situação, já não se sabe mais... Não que eu ache que tenhamos que ter uma maneira única de resolver as situações, pois todos mudamos todos os dias, mas como eu lido com a minha raiva, por exemplo? Já fui muito de gritar, de botar os cachorros, mas hoje eu engulo a raiva, mas porque? Com quem eu aprendi a controlar a raiva dessa maneira? Eu tenho medo de magoar alguém expressando minha indignação? Pode até ser, mas a cada dia eu vejo que as pessoas que gostam de mim, ficarão ao meu lado apesar de alguns dias não serem muito bons... afinal todo mundo tem seus dias mais  difíceis...

sábado, 21 de maio de 2011

Nova (antiga) paixão!

Fonte da Imagem

Reatei com uma antiga paixão... Há algum tempo que não nos víamos, não nos encontrávamos, mas nos reencontramos e agora estamos muito bem... Pensou o que?
A música voltou com tudo em minha vida, me trouxe novos horizontes, novos interesses. Uma vida fora do trabalho, um grupo novo de amigos, todos mais velhos, claro, afinal é um coral!
Fomos a um encontro na cidade de Vale Real e foi muito proveitoso! Tive um domingo ótimo! A minha vida tem outro sentido quando estou rodeada de música!
Como já diz o ditado: - Quem canta, seus males espanta!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Susan Boyle

No meu dia-a-dia na clínica, vejo pessoas que ficam paralisadas num jeito de ser, num modo de agir a qual definem como sendo autêntico, mas que muitas vezes as aprisionam em modos de vida totalmente limitados e dependentes da aprovação alheia.
Quando vi a Susan Boyle na TV, achei que era algo fora do comum, mas hoje, vi que aquilo realmente poderia acontecer em qualquer lugar. Alguém que abdica da própria vida pelo que os outros esperam dela. Que vive a vida que os outros esperam que ela viva, que deixa de sonhar os próprios sonhos por achar que eles não lhe são possíveis, ou que não se é merecedor deles.
Mas basta outra pessoa olhar com o carinho do qual são merecedoras, para a pessoa querer modificar aspectos da sua vida que até então não pertenciam a si mesma. Aspectos que sempre precisavam do aval alheio para existirem, ou deixarem de existir.
Sempre há tempo para reavaliar a sua vida e modificar aspectos que não lhe são confortáveis, basta apenas ter a disposição de desabrochar para a vida!

domingo, 6 de março de 2011

O que fazer para passar o tempo no carnaval?

  • Dar banho no gato;
  • Lavar toda roupa acumulada;
  • Pendurar todas as roupas;
  • Passar essas roupas;
  • Jogar no computador;
  • Entrar no MSN;
  • Não ver ninguém que preste online;
  • Entrar no Orkut;
  • Prometerq ue vai deletar o Orkut porque não tem nada que preste;
  • Lembrar que tem os joguinhos legais no Orkut;
  • Jogar esses joguinhos;
  • Entrar no Facebook;
  • Jogar Farmville;
  • Ir na sacada olhar o movimento do bailinho de carnaval;
  • Fazer comida;
  • Comer;
  • Dormir;
  • Ler um livro;
O que mais sugerem para a lista?

sexta-feira, 4 de março de 2011

Momento Deprê

Tenho sonhado com assaltos, alguém invade meu apartamento e fico sem defesa. Meu marido nunca está presente para me proteger. Comentei isso com ele e recebi a resposta:
- Que bom que não estou contigo, pois não se deve reagir a assaltos e você poderia ficar viúva. =S
O sonho é o simbólico do que estou sentindo, estou me sentindo sem apoio, sem suporte, sem amparo e meu sonho expressa isso. 
Por outro lado, atendo pessoas na clínica que dependiam muito de seus cônjuges e quando se vêm tolhidos de sua presença sentem que estão sem chão. 
Mesmo sabendo disso, sinto que preciso de mais apoio, não posso contar com meu marido para quase nada, pois o trabalho o consome demais. Por isso os sonhos... No primeiro deles, um cachorro que mais parecia um lobo danificou toda a porta do apartamento e precisou que meu pai viesse para me ajudar a consertar, sendo que esse papel deveria ser do meu marido, ainda busco a proteção do meu pai nos problemas...
Ao mesmo tempo, a parte racional tenta conpreender, relevar, mas é difícil sentir que falta a parceria...

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

O Amor é Cego

Estava ontem na academia e estava passando o filme O Amor é Cego. Tá bom, o filme é meio antigo, mas traz muitas reflexões acerca da aparência das pessoas.
Quantas vezes já deixamos de conhecer pessoas legais, porque eram fora dos padrões? Quantas vezes nós mesmos já fomos rejeitados por estarmos acima do peso, sermos mais pobres do que os outros da turma, sermos mais escuros no tom de pele ou milhares de outros preconceitos bem mais sutis?
Assim como quando se ouve essa voz, você não imagina a imagem da pessoa, mas tem um sentimento tão bonito que nunca ouvi em outra versão dessa música.


Está fora dos padrões estéticos, mas que ser humano tem uma voz tão poderosa e suave ao mesmo tempo? Poucos, muito poucos...

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Amigas e Companhias e Tocos!


Tem pessoas que apesar da distância, sempre poderão ser chamadas de amigas. Elas te ligam assim que você pensa nelas... Elas entram no MSN e vêm te dar um oi e se vc está sozinha em casa num final de semana, elas te convidam para fazer algo, sem você precisar ficar quase que se convidando...
Já as companhias, você precisa ir atrás delas, precisa se enfiar na vida delas e se elas não estiverem a fim de te ver te dão um toco, com uma desculpa esfarrapada qualquer...
Toco é isso, assim que a gente se sente quando leva um toco!
Imagem foi tirada daqui

O triste é quando você considera uma amiga e ela te considera uma companhia, isso sim é triste!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Ano novo, promessas novas!


Todo ano é a mesma coisa! Nova promessas para um novo ano. Já cansei de fazê-las...
  • Perder um pouco de peso;
  • Atualizar o blog ao menos semanalmente;
  • Escrever um diário;
  • Usar cremes hidratantes;
  • Me cuidar mais;
  • Ser um pouco mais vaidosa;
  • Milhares de outras coisas...
A questão que se coloca é: Porque não cumpro as promessas? Por que são apenas promessas e não desejos reais! Ou apenas por que eu não veja a real necessidade de cumprir o que prometo a mim mesma!
Se fossem promessas feitas a outras pessoas, as quais ficariam me cobrando o cumprimento das mesmas, talvez aí sim eu as cumpriria!
Não vou prometer atualizar o blog mais vezes, pois isso tem que ser um desejo, e não uma obrigação. Quando escrevo de bom grado, a coisa flui, se me sinto obrigada a escrever, não sai nada de bom, alías não sai nada.
Prometo sim, ser mais feliz e cuidar um pouco mais de mim!