Esse blog é uma verdadeira caixa de retalhos, escrevo tudo o que quero, lê quem quiser e comenta quem acha alguma coisa.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Susan Boyle

No meu dia-a-dia na clínica, vejo pessoas que ficam paralisadas num jeito de ser, num modo de agir a qual definem como sendo autêntico, mas que muitas vezes as aprisionam em modos de vida totalmente limitados e dependentes da aprovação alheia.
Quando vi a Susan Boyle na TV, achei que era algo fora do comum, mas hoje, vi que aquilo realmente poderia acontecer em qualquer lugar. Alguém que abdica da própria vida pelo que os outros esperam dela. Que vive a vida que os outros esperam que ela viva, que deixa de sonhar os próprios sonhos por achar que eles não lhe são possíveis, ou que não se é merecedor deles.
Mas basta outra pessoa olhar com o carinho do qual são merecedoras, para a pessoa querer modificar aspectos da sua vida que até então não pertenciam a si mesma. Aspectos que sempre precisavam do aval alheio para existirem, ou deixarem de existir.
Sempre há tempo para reavaliar a sua vida e modificar aspectos que não lhe são confortáveis, basta apenas ter a disposição de desabrochar para a vida!