Esse blog é uma verdadeira caixa de retalhos, escrevo tudo o que quero, lê quem quiser e comenta quem acha alguma coisa.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Desfragmentador de amores e relacionamentos

O título do post parece bem estranho, mas lendo algumas postagens de amigos no Facebook vi que a frase: - Quem eu amo não me quer. Está muito em voga atualmente.
Um monte de gente apaixonada por pessoas que nem notam a existência do reles mortal apaixonado. O que é uma pena...
Tá, mas onde entra a parte de desfragmentar? 
Quem já é mais velinho, já deve ter visto essa imagem, ao menos uma vez na vida.

 
Bom, vamos utilizar a imagem para entender a minha teoria, adoro criar teorias...
Os quadrados dourados podem ser as pessoas que estão casadas, namorando ou de bem com a vida sentimental. Elas não serão movidas, pois estão bem, nesse momento!
Os quadrados vermelhos são as pessoas que estão apaixonadas, notem que muitos quadrados vermelhos estão isolados.
Já os quadrados azuis são os solteiros que estão curtindo, não querem nada com nada.
Os roxos podem ser pessoas que já disseram adeus à vida sentimental, seja pelo motivo que for.
Pois bem, os quadrados vermelhos estão apaixonados por quadrados azuis, por quadrados dourados ou por outro quadrado vermeho, que por sua vez não está apaixonado por ele.
Ficou confuso?
A ideia é praticamente esta:

QUADRILHA

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.
Carlos Drummond de Andrade

É triste ver o bando de gente que anda suspirando pelas pessoas erradas, eu gostaria de ter um desfragmentador para poder unir os quadradinhos nos lugares corretos, ajustar as peças para que todos ficassem felizes, mas talvez assim a vida ficasse tão chata e sem emoção, né?
Só sei que o Ser Humano é um eterno insatisfeito... 

Nenhum comentário: